quarta-feira, 19 de setembro de 2018

A Lição da Borboleta


Um dia uma pequena abertura apareceu em um casulo. Um homem sentou e observou a borboleta por várias horas, conforme ela se esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco.
Então pareceu que ela havia parado de fazer qualquer progresso.
Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia e não conseguia ir mais. Então o homem decidiu ajudar a borboleta: ele pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo. A borboleta então saiu facilmente. Mas seu corpo estava murcho e era pequeno e tinha as asas amassadas.
O homem continuou a observar a borboleta porque ele esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e esticassem, para serem capazes de suportar o corpo que iria se afirmar a tempo.
Nada aconteceu! na verdade, a borboleta passou o resto da vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar. O que o homem, em sua gentileza e vontade de ajudar não compreendia, era que o casulo apertado e o esforço necessário à borboleta para passar através da pequena abertura era o modo com que a natureza fazia com que o fluido do corpo da borboleta fosse para a suas asas, de modo que ela estaria pronta para voar uma vez que estivesse livre do casulo.

Reflitam sobre esta fábula, ela traz uma mensagem tão singela e ao mesmo tempo tão importante para nossas vidas.

Quantas vezes reclamamos dos esforços e desafios que a vida nos coloca sem compreender que é justamente esse esforço que nos dará os recursos necessários para melhores resultados e a preparação  para abrir nossas asas e atingir  nossos objetivos, o que realmente desejamos viver, dentro da nossa missão, onde encontramos de fato o sentido da vida.

Quantas vezes apressamos nossos processos ou de alguém querido, acreditando que estamos fazendo o certo e nesse apressar as coisas, arruinamos todo um resultado. Tudo tem seu tempo, temos que viver o caminho, mesmo ele sendo longo, pois é no processo que reuniremos recursos, capacidades e habilidades para alcançar de fato o objetivo maior: a liberdade de voar com as nossas próprias asas e viver a plenitude da nossa existência.

O processo, o caminho ou o percurso e tão ou mais importante que a chegada!


Por Sueli Santos de Oliveira




domingo, 16 de setembro de 2018

Filme Comer Rezar e Amar e a busca pelo sentido da vida

 Comer Rezar e Amar é um dos filmes (também o Livro de Elizabeth Gilbert ) que mais amo na vida e todas as vezes que assisto, me dá uma vontade de fazer o mesmo que a personagem- Liz, interpretada por Julia Roberts.
Liz vive um momento em que passa a questionar a sua vida e suas escolhas e o sentido da sua existência, pois não se sente plena e feliz, não sente prazer pela vida e sente que não está vivendo na sua essência.
Diante disso, decide se separar, mas tudo passa a ficar ainda mais caótico em sua vida e ela chega a vivenciar um período de depressão.
Sabe o que senti quando acordei hoje de manhã? Nada. Nem paixão, nem entusiasmo, nem fé, nem emoção. absolutamente nada. Eu acho que eu passei do ponto onde se poder chamar isso de um mal momento e isso me apavora. Meu Deus, essa ideia é pior do que a ideia da morte. É essa pessoa que eu vou ser de agora em diante?

Como forma de autodescoberta, ela resolve passar um ano viajando, primeiro para a Itália, depois para índia e por fim para Bali.




Daí se dá sua jornada em busca de si mesmo e do sentido da vida. Nesse processo, ela vivencia várias situações e emoções, como a solidão, alegria, saudade, frustração, entre outras e através do Amor ela se encontra novamente.
Melhor viver o seu próprio destino de forma imperfeita do que viver a imitação da vida de outra pessoa com perfeição. Então agora comecei a viver a minha própria vida. Por mais imperfeita e atabalhoada que ela possa parecer, ela combina comigo, de alto a abaixo.
Encontrar o sentido da vida é uma das maiores conquistas que podemos ter em nossa jornada. Este filme em particular me ajuda a refletir muito sobre isso e repensar a minha vida. Veja que não é fácil, Liz teve que sair da zona de conforto, se lançar em um viagem sozinha, terminar seu segundo relacionamento, porque entendeu que a vida poderia e deveria ser muito mais do que era e a viagem de autoconhecimento foi a forma que encontrou de ir atrás do seu sentido e de viver plenamente sua vida.
Para reflexão:
O que você estaria disposto a fazer para encontrar o sentido da sua vida?
O que estaria disposto em abandonar e desbravar?

Por Sueli Santos de Oliveira




quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Lei da Atração

A lei da Atração pode ser definida da seguinte maneira:Atraio para a minha vida qualquer coisa a qual dedico atenção, energia, concentração, seja ela positiva ou negativa. 
            Fonte: Livro A Lei da Atração: O Segredo de Rhonda Byrne, colocado em prática do autor Michael J. Losier

Sabendo disso, é necessário perceber que vibração estamos emitindo: negativa ou positiva.
Vibrações são produtos de nossos estados de espírito ou sentimento. Sentimentos positivos geram vibrações positivas, como amor, alegria, abundância, confiança e etc. Sentimentos negativos geram vibrações negativas, como solidão, tristeza, raiva, mágoa, entre outras.
O que você atrai através da Lei da Atração é resultado da sua vibração.
Se você quer amor, mas estiver vibrando ódio, você atrairá o que estiver vibração e não que você quer. Da mesma forma, se você quer felicidade e estiver vibrando tristeza, vai atrair mais tristeza para a sua vida.
A Lei da Atração não obedece ao seu desejo, mas ao que você está vibrando através de seus pensamentos, sentimentos e emoções. Você atrairá para sua vida o que estiver no seu campo vibracional, atrairá o que você deseja se sua vibração estiver alinhada ao que você quer. 
Você atrai mais do mesmo, se sua atenção, concentração e energia focar amor é isso que irá atrair e isso vale para tudo, sendo positivo ou negativo.
O que você deve fazer é identificar qual emoção está vibrando e alinhá-la ao seu desejo.
Mas como modificar uma vibração?
Mudando seus pensamentos e sentimentos. Colocando foco no que você quer e não no quer não quer atrair.
No processo de atração consciente você deve escolher bem suas palavras e seus pensamentos.
O autor do livro sugere evitar palavras de negação como o NÃO.
EX: Não fique zangado. 
Nesta frase, sua mente vai focar no que você não quer, no caso ficar zangado.
Ao invés de usar termos como:
Não quero ficar desempregado. Substitua por: Vou ficar bem no meu emprego.
Não se atrase -substitua por chegue na hora.
Quando você passa daquilo que você não quer para aquilo que quer, as palavras se modificam, a vibração se modifica e você só pode emitir uma vibração de cada vez.
 Fique sempre alerta! seja consciente com qual vibração está emitindo: negativa ou positiva. Foque sempre no que você quer e não no que não quer, fale e pense positivamente, pois as palavras geram pensamento, o pensamento gera sentimento e emoções e as emoções emite uma vibração que vai atrair situações para sua vida, negativa ou positiva.


Por Sueli Santos de Oliveira







 

domingo, 9 de setembro de 2018

Autoestima

Autoestima: é a forma como nos vemos, como nos tratamos, o grau de satisfação com a gente mesmo, o apreço, afeição ou consideração em relação a nosso própria pessoa. 

Auto é um prefixo que vem do grego e significa por si mesmo, próprio de algo.
Estima significa apreço, afeição, consideração.
Portanto, autoestima é a afeição, apreço ou consideração que damos a nós mesmos.

A autoestima pode ser positiva ou negativa, alta ou baixa, isso depende da forma em que nos consideramos e do apreço que temos conosco. A pior forma de autoestima é a negativa, ou ter autoestima muito baixa, pois não gostar da gente mesmo, não se ter consideração e apreço prejudica a nossa vida em todas as áreas, profissional, pessoal, nos relacionamentos e também tem impacto na nossa saúde mental. 
Reflita sobre a seguinte situação: como você se sente quando está na presença de alguém de quem você não gosta, alguém que você despreza ou sente repulsa? 
Eu particularmente, não me sinto à vontade, sinto um incômodo tremendo e vontade de se livrar daquela presença, sair para outro lugar.

Mas podemos sair da gente mesmo? podemos reduzir nosso contato conosco?

Pode parecer banal para algumas pessoas mais desatentas, mas não ter uma boa autoestima é doloroso, penoso e prejudicial. 

Daí a importância de cultivar uma boa autoestima, de elevar o nosso apreço e de investir em nós mesmos. 
Trago aqui algumas dicas que para mim foram de extrema importância e tem me ajudado a desenvolver e vitalizar a minha autoestima.
Só lembrando que é um investimento diário:

1- Investir em Autoconhecimento:
Precisamos nos conhecer para nos amar. É necessário saber nossos pontos fortes e fracos, nossas crenças, medos, valores e quem somos de fato, qual a nossa missão de vida. 

2- Aceitação
Reconhecer quem somos, nos aceitarmos como somos e aceitar nossa história de vida. Eu sou quem sou.

3- Mudar o que preciso e posso mudar
Se aceitar não significa que não precisamos mudar nada em nós. O autoconhecimento serve para descobrir quem somos, aceitar como somos e identificar o que precisamos mudar. Para viver de acordo com o que somos, para nos aceitarmos e nos amarmos verdadeiramente é necessário mudar aquilo que nos atrapalha, nos desvaloriza ou está em desacordo com a nossa identidade.  É preciso identificar e fazer algo a respeito.
Ex. às vezes somos algo, mas tentamos ser outra coisa, outra pessoa, porque não nos valorizamos e não nos aceitamos, pior, porque não nos conhecemos de fato e temos comportamentos que estão em desacordo com nossos valores e crenças e isto sim precisa ser mudado.

4- Se comparar
Não existe nada pior para nossa autoestima do que a comparação com outra pessoa. Aprendi que quando a gente se compara com alguém, sempre perdemos, porque do outro eu só vejo as vitórias, a aparência ou o que ele quer revelar, mas não posso ver as dores e as lutas. Eu só posso sentir por mim e não sou capaz de sentir o que o outro sente e olhando de fora, parece sempre que a outra pessoa é mais feliz, é mais bonita, é mais bem-sucedida. Aquela historia da grama do vizinho que é sempre mais verde.
Então pare de se comparar.

5- Descubra suas paixões e seus interesses
Tem coisa melhor na vida do que dedicar tempo para fazer o que gostamos? Isso eleva e fortalece nossa autoestima. 
descubra quais são suas paixões e interesses. o que você faz que te traz satisfação?
No meu caso, adoro ler um bom livro, assistir um bom filme (Adoro filme de terror! parece loucura eu sei, mas eu adoro!) e caminhar ao ar livre.

6- Invista na sua aparência e cuidados pessoais
Uma pessoa que está suja, sem higiene pessoal, vestida de qualquer jeito consequentemente está com  uma péssima aparência. 
Não precismos ser bonitas ou lindas, parecendo uma modelo de revista, com o peso ideal, só precisamos ser nós mesmas, com o nosso peso ideal e não o que nos foi imposto pela mídia, mas precismos cuidar da nossa higiene pessoal, aparência, cabelo, roupas, enfim... Não precisamos de roupas caras, mas é bom usar roupas limpas, que são do nosso número, que estão de acordo com nosso estilo. Ter o cabelo arrumado, as unhas bem feitas e uma boa maquiagem ou não , para aquelas que não curtem. Não há nada que eleve mais a nossa autoestima  do que quando estamos bem apresentáveis, bem vestidas, bem maquiadas e com uma  boa higiene pessoal, limpas e perfumadas.
Cuidar da gente mesmo é essencial e demonstra carinho e apreço. 
Quem não gosta de ver uma pessoa cheirosa e bem vestida?
Se você já é uma pessoa bonita, se cuidar vai reforçar sua beleza e se você não se considera lá tão bonita, se cuidar vai melhora a sua aparência.

7- Fazer alguma atividade física
Praticar atividades físicas é essencial para a saúde e bem-estar, te ajuda a ter qualidade de vida e consequentemente eleva sua autoestima.
Eu particularmente não sou o tipo de gosta de academia, mas compreendi que atividade física não é só o que se faz nas academias, mas qualquer atividade que exercite o corpo, como caminhar, correr, dançar e tantas outras. Só precismos descobri do que gostamos e qual atividade é a melhor para mim e praticar.

8- Ter um objetivo ou projeto de vida
Ter um objetivo, um projeto de vida eleva sua autoestima em um milhão! pode ser qualquer área da vida, seja profissional ou pessoal.  Objetivos e Projeto de Vida é algo que te motiva e te inspira.
Imagina o quanto vai agregar à sua vida e à sua autoestima alcançar seu objetivo? E melhor, já durante a jornada para alcançar seu objetivo, antes mesmo de chegar lá, quanto isso vai trazer de inspiração e motivação. 
Ter um motivo para acordar todas as manhãs é fundamental para a vida, para autoestima e para se  sentir feliz.

9- Tenha atividades de lazer
Trabalhar, por mais que seja o que amamos, ou só cuidar da casa, para as donas de casa, acaba desgastando nossas energias. Ter uma atividade de lazer, tirar um tempo para fazer o que gosta e descansar é bom para recarregar as energias e fortalecer a autoestima. É uma maneira de se auto-presentear, se dar uma recompensa.

10- Pare de se julgar
Todos nós somos passíveis ao erro; não somos boas em tudo, ninguém é. Não precisamos ser a mais bonita, a mais inteligente, a mais querida. Só precisamos nos amar, nos respeitar, respeitar nossos limites e nos perdoar quando cometemos um erro. Somos humanas acima de tudo!

Espero que tenha conseguido ajudar com essas dicas, que tenha contribuído de alguma forma com o fortalecimento da sua autoestima, pois essas dicas tem me ajudado muito particularmente. Meu objetivo é ser o melhor que eu posso ser e fico feliz em poder contribuir com mais alguém que queira ser a sua melhor versão, pois sermos o nosso melhor estamos contribuindo para um mundo melhor.

Eu creio nisso!
Por Sueli Santos de Oliveira




sexta-feira, 7 de setembro de 2018

Não Desista Antes da Hora


Assistindo O Nevoeiro, filme adaptado da obra de Stephen King, o mestre do terror, a última cena me trouxe uma reflexão. 
Para quem não conhece o filme, a história se passa em uma cidadezinha que após uma tempestade, é coberta por um nevoeiro que esconde criaturas misteriosas e assassinas. Para se proteger, um grupo de moradores ficam alojados e isolados em um mercado, onde se desenrola uma série de dramas. Após dias isolados e sem perspectivas, um grupo decide pegar um carro e sair à procura de ajuda, enfrentando o desconhecido. Decidem dirigir até conseguir sair do nevoeiro ou até acabar o combustível.
O pior é que o combustível acaba e eles ficam parados no meio do nevoeiro e a mercê de criaturas perigosas e sanguinárias. No desespero da situação, tomam uma decisão em comum acordo, um dos personagens, David, que está com seu filho pequeno, pega um revolver e atira em um a um, para evitar que sejam presas das criaturas misteriosas do nevoeiro, no entanto só há quatro balas e estão em cinco. David, que foi responsável por dar o tiro que matou os demais personagens, inclusive seu filho, então desesperado, sai do carro e clama pela criatura, mas o inesperado acontece: surge um grupo de salvamento e pessoas resgatadas, bem como o nevoeiro começa a se dissipar. Então percebe o que acaba de acontecer: ele está a salvo, mas acabara de atirar em seu filho, que poderia também estar salvo.
O meu interesse aqui não é falar sobre o filme em si, mas sobre a minha reflexão sobre esta cena. Se eles tivessem esperado até que tudo de fato acabasse e não tomassem a decisão de tirarem a própria vida, estariam salvos. Mas decidiram acabar com tudo, antes da hora. 

Quantas vezes a gente desiste antes mesmo que tudo de fato se acabe? nos entregamos no calor do desespero, na falta de perspectiva e tomamos decisões precipitadas e desnecessárias e só então percebemos que se tivéssemos esperado só mais um pouco, teríamos resolvido a situação. 
Que sejamos capazes de reconhecer a hora certa de desistir!
 Por Sueli Santos de Oliveira


terça-feira, 4 de setembro de 2018

Desenvolvimento Pessoal

 "O segredo é não correr atrás das borboletas...é cuidar do seu jardim para que elas venham até você."
 Eu já ouvira essa mensagem diversas vezes, mas até então não fazia sentido para mim. Agora faz um sentido enorme!
Essa singela frase traz uma mensagem cheia de verdades e Insight. Quantas vezes corremos atrás de um amor, dinheiro, reconhecimento e tantas outras coisas, fazemos um esforço danada para trazer tais coisas para as nossas vidas e quando as coisas não saem como queremos, ficamos chateados, tristes, nos enchemos de autocríticas e nos tornamos autodepreciativos:
Por que não sou bom para fulano!
Por que não consigo ter dinheiro? não sou um bom profissional!
Já passei por isso, sei como é correr atrás de algo e se frustrar. É preciso mudar o foco, a ideia não é correr atrás das borboletas, mas cuidar do nosso jardim, ou seja, trabalhar nosso desenvolvimento pessoal constante, ser melhor hoje do que fomos ontem, ser a pessoa que queremos  ter do nosso lado e somente assim é que as coisas começarão a acontecer: o amor chegará, sem precisar correr atrás. o sucesso profissional e consequentemente o dinheiro, bem como o reconhecimento que almejamos.

Agora fez sentido para você? 

Para mim faz muito sentido! é preciso Ser para Ter.

Vamos cuidar do nosso jardim e assim nunca mais teremos que mendigar amor, dinheiro ou seja lá o que for, porque nossos objetivos e sonhos são como as borboletas... basta ter o jardim bem cuidado que provavelmente elas virão por si mesmas.




   Por Sueli Santos de Oliveira 




  



domingo, 2 de setembro de 2018

Autoconhecimento

E se alguém lhe fizesse a seguinte pergunta:
Quem é Você?




O que você responderia?
A resposta seria rápida e certeira ou você hesitaria?
Acredito que a maioria das pessoas teria dificuldade de responder ou daria uma resposta que não responderia de fato o que lhe foi perguntado.

Você sabe quais são seus pontos negativos e positivos? sabe qual é o seu propósito de vida?

Provavelmente seria mais fácil dizer os pontos negativos ou positivos de um amigo ou um familiar.
Isso não lhe parece impróprio? conhecer melhor o outro e não conhecer a si mesmo?

No que se refere ao propósito de vida: você sabe qual é o seu? já parou para refletir sobre isso?

Faço aqui uma reflexão: para ver a nossa imagem, necessitamos do auxílio de um espelho. Já para ver o outro, só precisamos voltar o nosso olhar na em sua direção. Para me conhecer, preciso olhar para dentro. Da mesma forma que necessitamos do espelho para nos ver, para nos conhecer necessitamos também de um espelho, mas um espelho simbólico: é preciso se despir dos autojulgamentos, estar em silêncio e atento e analisar nosso reflexo no outro: como os outros me vêem? como me tratam? isso nos dará uma noção de nossas qualidades e defeitos, ajudar a entender e analisar como estamos nos apresentando para as outras pessoas, como estou me refletindo para o mundo.

O autoconhecimento é de vital importância para cada um de nós. É fundamental para sabermos o que queremos, onde queremos chegar, qual o sentido da nossa vida, pois quem não sabe o que quer, qualquer caminho serve. Vale ilustra aqui a curiosa conversa entre Alice de Alice no Pais das Maravilhas e o Gato:

Alice: Eu só quero saber que caminho devo tomar.
Gato: Isso depende do lugar onde quer ir.
Alice: Ah, isso não importa.
Gato: Se não importa, qualquer caminho serve.



Ficamos como Alice quando não sabemos o que somos, pois se eu não sei quem sou, provavelmente não saberia que caminho tomar.

Já dizia Sócrates:


Conheça-te a ti mesmo!





Por Sueli Santos de Oliveira