Ser Livre É...



Quantas vezes você deixou de fazer algo por falta de companhia?

Admito que já deixei de fazer muitas coisas porque estava sozinha. Perdi aquele filme que tanto queria assistir, deixei de ir a um Show, ao teatro, já fiquei sábado à noite em casa morrendo de vontade de sair e deixei de viajar por aí, de explorar e conhecer lugares lindos e maravilhosos.

A cada situação em que uma amiga não podia ou não queria ir comigo para algum lugar que eu tanto queria ir, eu me sentia decepcionada. Quem já deixou de fazer algo por falta de companhia sabe o quanto isso pode ser frustrante!

Até que um dia comecei a pensar sobre isso e passei a ter alguns questionamentos:
Por que preciso depender da vontade do outro para fazer o que eu quero?
Por que deixar de fazer algo por falta de companhia?

 Foi aí que eu entendi e me libertei. É muito bom ter uma amiga ou um namorado para nos acompanhar em uma sessão de cinema, um Show ou uma viagem, mas também é muito bom poder fazer  tudo isso mesmo que sozinha, muitas vezes é até melhor, pois você tem a liberdade de assistir ao filme que você quer e em uma viagem, fazer seu roteiro, ir para os lugares que você deseja sem depender da vontade alheia.

Falamos tanto em liberdade e independência, mas na prática, não somos livres e independentes, pois não há nada mais limitador do que depender do outro para fazer uma atividade que você deseja.

Depender do outro traz frustração, decepção e nos limita. A dependência nunca é boa, em hipótese alguma. Qualquer relação baseada em dependência traz decepção e mágoa. O bom é ter a companhia do outro sem depender dela. Se eu quero ir ao cinema, mas aquela amiga ou o namorado não pode, vou sozinha e aceito de boa a sua recusa, porque não dependo de ninguém para fazer o que eu quero fazer.

Então passei a fazer várias coisas sozinha, como ir ao cinema, tomar um gostoso café numa cafeteria, ir ao teatro...
No inicio, confesso que me sentia meio incomodada e retraída, porque você olha para os lados e parece que todo mundo tá sempre acompanhado e além disso, você tem a impressão que as pessoas te observam, daí você imagina o que a pessoa tá pensando: coitada, tão sozinha! 

Mas depois de um tempo, sair sozinha se torna algo libertador! e até viciante, porque a gente passa a ter preguiça de esperar o outro. Você percebe que está totalmente adaptada, quando vai ao cinema sozinha, observa que todo mundo está acompanhado e se sente confortável.
Depois que me acostumei a fazer alguns programas sozinha, olho para as outras pessoas e penso:  como as pessoas são carentes!

 Quem já ouviu falar da figura do Personal Friends, que nada mais é que um amigo de aluguel. Pessoas que se sentem solitárias pagam a outras para acompanhá-las em eventos, festas, passeio no shopping e inúmeras outras atividades. Daí eu penso: como é triste os tempos em que vivemos que é mais fácil ter 5.000 amigos nas redes sociais do que um na vida real! como é triste ter que pagar para ter companhia! como as pessoas são carentes e dependentes, parece que ninguém existe sozinho e precisa sempre de um apêndice  (outra pessoa).

Estar na minha própria companhia e me senti confortável com isso tem sido uma das coisas mais maravilhosas e libertadoras da minha vida. 

Gostar da própria companhia evita que você fique refém de relacionamentos ruins e te prepara para se relacionar com pessoas que compartilham dos seus valores e com as quais você realmente quer estar, tendo como motivador afinidade e não necessidade. Evita que se prenda a alguém por medo de ficar só, te deixa livre para conhecer e interagir com outras pessoas e te capacita para atrair bons relacionamentos, pois acredito que um dos critérios para se relacionar bem com o outro é ter um bom relacionamento consigo mesmo.

2 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma Questão Humana

O Milagre da Manhã

Crenças